segunda-feira, 23 de maio de 2016

Salinas de Rio Maior

Viajando por Portugal pelas estradas mais antigas, muito embora as viagens sejam mais morosas, oferecem-nos outros encantos e proporcionam-nos descobertas de locais de que já tínhamos ouvido falar mas que, por este ou aquele motivo, ainda não tínhamos visitado.
Foi o que aconteceu há cerca de dois anos num pequeno passeio em que visitei as Salinas de Rio Maior situadas no sopé Serra dos Candeeiros, no centro do País, num vale que considerei paradisíaco. Merecem ser visitadas tanto  pelo seu valor o histórico como pela beleza envolvente!



















"Uma mina de sal-gema, muito extensa e profunda, segundo os técnicos, atravessada por uma corrente subterrânea que alimenta um poço, faz com que a água dele extraída seja salgada, sete vezes mais salgada que a do mar. Da sua exposição ao sol e ao vento e consequente evaporação da água obtêm-se o sal, depositado no fundo dos talhos e que depois é colocado em montes, em forma de pirâmides, para secar até ser recolhido."


Para mais pormenores e história clique aqui!

Desejo-vos boa semana.

13 comentários:

  1. Adoro ver as salinas. Me faz lembrar a região dos lagos no RJ.São lindas e esse lugar mereceu a visita! bjs, tudo de bom,linda semana! chica

    ResponderEliminar
  2. Muito bonito o passeio às salinas... Fotos ótimas, Ailime! Você sempre nos mostrando lindas paisagens!...
    Abrações

    ResponderEliminar
  3. Salinas tão belas!
    e esse sal não vem do mar?
    que raridade, que coisa mais bonita!
    Adorei passear com você nesse lugar tão interessante

    bjs

    ResponderEliminar
  4. Que interessante, Ailime. Desconhecia em absoluto a existência dessas salinas.
    Aliás conheço muito mal essa zona do país, embora por aí passe muitas vezes rumo ao Sul.
    Tenha uma boa noite.
    Beijo

    ResponderEliminar
  5. Boa noite, querida amiga Ailime!
    Se te levasse a visitar as salinas daqui de bem perto, teria vergonha... são muito descuidadas... Aí é um capricho, que marvilha!
    Bjm muito fraterno

    ResponderEliminar
  6. Que bela postagem Ailime. Não conhecia e vendo as fotos algumas curiosidades pude tirar lá no link. O tempo de exploração que já passa de 8 seculos e a maneira rudimentar de extração e armazenagem. Muito interessante mesmo e clima no vale deve ser muito bom. Um lugar sem prédios e parece não populoso.
    Valeu Ailime, grato.
    Abraços
    Bjs

    ResponderEliminar
  7. Há sempre um Portugal desconhecido... quando nos aventuramos por essas estradas fora...
    Adorei esta belíssima reportagem fotográfica, destas salinas, de que já tinha ouvido falar, mas que ainda não conhecia...
    Apesar do dia meio cinzentão, as imagens ficaram com uma intensidade e tonalidades, muito bonitas!
    Gostei imenso! Beijinhos!
    Bom feriado, Ailime!
    Ana

    ResponderEliminar
  8. Nunca conheci uma salina, Ailime! De forma que, adorei conhecer pelas suas fotos, que é muito diferente de ver por um filme. Podemos ver uma foto pelo tempo que desejarmos, o que não acontece nos filmes. Muito bom, um beijinho e ótimo final de semana, que já se aproxima.

    ResponderEliminar
  9. Olá Ailime.
    Achei muito interessante essa sua reportagem fotográfica, com belo texto, sobre Salinas de Rio Maior. Foi muito bom ter ‘conhecido’ esses lugar e conhecer um pouco sobre o sal. Parabéns.
    Abraços.
    Pedro.

    ResponderEliminar
  10. Interessantíssimo vale, esse das Salinas de Rio Maior, Ailime. Já passei perto de uma, viajando pela região dos Lagos, no R.J. Excelente as suas explicações! Beijinhos!

    ResponderEliminar
  11. Como sempre lindas fotos e registros que nos contextualizam e nos permitem embarcar na sua viagem. Grta pela partilha. bjs

    ResponderEliminar
  12. Ailime...conheço bem e adorei esse espaço!
    Uma visita que recomendo!
    Belos registos...bj

    ResponderEliminar
  13. Ailime...conheço bem e adorei esse espaço!
    Uma visita que recomendo!
    Belos registos...bj

    ResponderEliminar

Aqui mostro um pouco mais dos ecos e reflexos que me saem da alma.
O que me rodeia, o que me sensibiliza, algumas coisas que gosto de fazer no meu dia a dia! Aqui sinto-me em casa. Espero por todos vós! Ailime