segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Reflexos daqui



Hoje partilho duas imagens daqui em dois contrastes!
O dia e o cair da noite!
O lugar onde nascemos e/ ou moramos pode não ser o ideal, mas é o que guardaremos sempre no nosso coração!
Sinto assim!
E vocês que acham?  Mudam com facilidade de cidade?
Eu tenho muita dificuldade! Quando mudei em criança para aqui, parece que me arrancaram a alma!
Hoje, estou habituada e teria novamente muita dificuldade em sair para outro local!

Desejo-vos um excelente inicio de semana.

11 comentários:

  1. Que lindo "ecos"... Beleza de fotos,Ailime! Eu para me mudar, se me colocarem PRAIA perto ,já fuiiiii,rs...Mas tenho compromissos com o netinho que nos prende aqui. Aliás, um laço maravilhoso! bjs, linda semana,tuuuuudo de bom! chica

    ResponderEliminar
  2. Oi Aillime
    Que lhe seja um bom dia , uma semana de paz e muito amor ,
    A cidade onde nascemos fica mesmo enraizada em nós, mesmo que nos desliguemos fisicamente.Já tem um tempinho que aconteceu comigo , e foi difícil a adaptação.Até hoje me sinto uma turista nessa cidade que moro atualmente.E sempre que posso passo temporadas por lá onde respiro a intimidade de berço.
    Um abraço grande

    ResponderEliminar
  3. Muito lindo o seu post!
    Quando me mudei da casa da minha infância senti demais... Também quando deixei minha cidade Recife/litorânea e cheguei aqui, estranhei muitíssimo... Hoje amo e sei que só saio mesmo a passeio...

    Uma Boa Semana... Beijinhos...

    ResponderEliminar
  4. Quando era pequena eu me mudei de uma cidade que eu amava , chorava tanto, mas depois me acostumei na outra e imagina , meus pais levantaram a barraca , e queizeram ir embora de novo , foi outra choradeira.
    bjs e uma ótima semana.
    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  5. Oi Ailime!
    Eu também quando me mudei ainda criança, da minha terra querida, Minas Gerais, para o estado de São Paulo, parecia que arrancavam minha alma e meu coração. Quase morri de chorar. Ainda carrego no peito as saudades das lembranças. Mas acho que não enfrentaria uma nova mudança.
    Linda postagem!
    Beijão Ailime!
    Mariangela

    ResponderEliminar
  6. Ailime,
    Quando mudei para o Ottawa, me senti muito perdida! Vim pra ca com idade avancada, pois meu marido trabalha aqui! Vim depois dele. Ate hoje sinto muito falta do Brasil! Mas, ainda volto para fazer uma visita!
    Legal, o seu filho morar em Toronto! Bem pertinho! Bjs e uma linda semana!!

    ResponderEliminar
  7. Ailime, gosto muito de viajar e felizmente faço-o com alguma frequência. Porém, adoro regressar. Não me vejo , de modo algum, a mudar de terra.
    As fotos estão lindas.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Oi, Ailime!
    A minha família sempre teve residência fixa em um único lugar, mas passamos temporadas em outros locais. Mas depois procurei o meu próprio caminho e acho que encontrei o meu lugar, porém as vezes me sinto coagida a voltar. O meu coração vive entre o mar e a montanha...
    Boa semana!!
    Beijus,

    ResponderEliminar
  9. Lindas suas fotos!!!
    Não gosto muito de viajar, e não me vejo morando em outro lugar.
    Assim como você penso que aonde estou pode não ser o melhor, mas é onde está meu coração.
    Boa semana, Beijokad,Rê!!!!

    ResponderEliminar
  10. Que céu lindo tem sua terra!
    eu já vi, e digo com toda certeza que é o céu mais azulzinho que já vi.
    acho que todos quando gostamos de um lugar, nos ressentimos com as mudanças. Depois de adaptados, nem queremos mais sair de onde estamos. É questão interior.
    eu não lido muito bem com as mudanças. Nem de casa, nem de região. Sofro muito.
    gostei de estar aqui nos ecos.
    beijos Zizi

    ResponderEliminar
  11. Acabaram de entrar teus céus por lá! bjs, chica e obrigadão!

    http://ceuepalavras.blogspot.com.br/2014/10/ceus-da-ailime_28.html

    ResponderEliminar

Aqui mostro um pouco mais dos ecos e reflexos que me saem da alma.
O que me rodeia, o que me sensibiliza, algumas coisas que gosto de fazer no meu dia a dia! Aqui sinto-me em casa. Espero por todos vós! Ailime