sábado, 28 de março de 2015

Ecos e reflexos da Lagoa Azul

De regresso à Lagoa Azul (Serra de Sintra) para fotografar as mimosas em flor (pensando encontrá-las no seu apogeu;)), eis que me deparo com o chão atapetado de minúsculas partículas amarelas quase secas que, entretanto, foram caindo deixando as árvores como poderão observar nas fotos! Já no final consegui descobrir um ramo tombado pelo vento que se tem feito sentir com alguma intensidade nos últimos dias, ainda com flores amarelas e viçosas! No entanto não dei por mal empregue o meu tempo pois não me canso de por ali caminhar e desfrutar da beleza do local! Apesar de frio e ventoso o dia esteve solarengo;))!

(Clique sobre as fotos para ampliar)
















Num outro dia partilharei mais algumas fotos.
 Com estas imagens aproveito  para vos desejar um bom restinho de sábado e um feliz domingo.
Abraços. Ailime

5 comentários:

  1. Ailime, as coisas andam meio malucas em todos os lugares! mesmo assim, valeu e muito o passeio. Vê-se pela lindas fotos.Flores e tapetes delas, amarelos, douravam o chão!Adorei! Lindo domingo,bjs, chica

    ResponderEliminar
  2. Esse local é lindo, querida Ailime.
    Quanto às mimosas, é uma pena, mas começam a perder o seu fulgor.
    Obrigada pela sugestão, amiga.
    Tenha uma feliz noite.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Fotos lindas, lindas e LINDAS!
    A Lagoa Azul é bela!
    Um beijo... BOM DOMINGO!

    ResponderEliminar
  4. É a natureza tem sido severa por aí.
    Mas há beleza nestas folhas e o lugar é mágico mesmo, bom para andar e se sentir perto das delicadezas de Deus.
    Abraços amiga.
    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Ailime, a natureza tem se mostrado muito diferente! Ela pede socorro! Dói-me muito na alma saber que está acontecendo essa adversidade toda! Um enorme abraço! Suas imagens são lindas demais!

    ResponderEliminar

Aqui mostro um pouco mais dos ecos e reflexos que me saem da alma.
O que me rodeia, o que me sensibiliza, algumas coisas que gosto de fazer no meu dia a dia! Aqui sinto-me em casa. Espero por todos vós! Ailime